Micheletti e Lobo analisam transição e saída de crise política hondurenha

Tegucigalpa, 14 dez (EFE).- O governante de facto de Honduras, Roberto Micheletti, e o presidente eleito, Porfirio Lobo, analisaram hoje a transição de Governo e os pontos pendentes de cumprimento do acordo assinado em outubro entre Micheletti e o deposto Manuel Zelaya para resolver a crise política do país.

EFE |

Um porta-voz de Lobo, do Partido Nacional (de oposição), disse à Agência Efe que o assunto principal do encontro, que aconteceu na Casa Presidencial, foi a transição do poder em vista da posse, que acontece no próximo dia 27 de janeiro.

Além disso, acrescentou, foram abordados "os três pontos que a comunidade internacional exige" que sejam cumpridos para normalizar suas relações com Honduras, praticamente suspensas desde a derrocada de Zelaya, no dia 28 de junho, mesmo dia em que o Parlamento nomeou Micheletti em seu lugar.

Esses pontos são a integração de um Governo de reconciliação, a criação de uma Comissão da Verdade e uma anistia política.

Nem Micheletti nem Lobo, assim como funcionários do Governo de facto, fizeram declarações sobre a reunião, que durou cerca de duas horas.

A anistia política foi excluída do acordo que delegados de Micheletti e Zelaya assinaram no dia 30 de outubro, mas Lobo destacou que a comunidade internacional insiste que ela seja aprovada como parte da solução da crise.

O pacto Tegucigalpa-San José estabelece o Governo de reconciliação e a Comissão da Verdade. EFE lam/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG