Micheletti diz que vetou presença de Zelaya para evitar conflito

Tegucigalpa, 5 jul (EFE).- O novo presidente de Honduras, Roberto Micheletti, assegurou hoje que não permite a entrada no país do líder deposto Manuel Zelaya para evitar conflitos internos.

EFE |

Segundo ele, Zelaya poderá entrar no país, desde que deseje, porém, se entregar à Justiça.

As autoridades hondurenhas que controlam o poder desde domingo passado, depois que os militares tiraram Zelaya do poder pela força, não deram hoje permissão para que um avião que devia trazer o líder deposto pousasse em Tegucigalpa.

"Insistimos que não queremos conflitos internos, aqui não se derramou uma gota de sangue de nenhum hondurenho e (a chegada de Zelaya) poderia ter como consequência isso", disse Micheletti em coletiva de imprensa.

Perguntado sobre a permissão para que outros presidentes da região, como a argentina Cristina Fernández de Kirchner, o paraguaio Fernando Lugo e o equatoriano Rafael Correa, entrem no país para acompanhar Zelaya, Micheletti assinalou que esses também não vão ingressar em território hondurenho.

"Nem a presidente Kirchner nem nenhum outro presidente vai vir a nosso país. Temos a soberania, que todo mundo tem que respeitar", assegurou.

No entanto, o presidente esclareceu que esses governantes não pediram o direito de entrada e que a única coisa que recebeu foi "uma solicitação única" para um avião militar do Equador sobrevoar território hondurenho. EFE jlp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG