Micheletti diz que não renuncia nem Zelaya volta ao cargo

Tegucigalpa, 15 dez (EFE).- O presidente de fato de Honduras, Roberto Micheletti, afirmou hoje que não renunciará à Presidência e que o governante deposto, Manuel Zelaya, também não voltará ao poder, mesmo que o mundo queira.

EFE |

"Não vou renunciar até que termine o período que me corresponde constitucionalmente", disse Micheletti, advertindo que, "mesmo que o mundo me peça, mesmo com os países que estiveram intransigentemente nos vendo com ódio, sem justificativa, mesmo assim, não farei isso".

Sobre Zelaya, disse que "ele não é mais presidente da República", mas "um cidadão comum", pois o Congresso Nacional já rejeitou, no último dia 2, sua restituição.

"O Congresso tomou uma determinação histórica e eu acho que, a partir daquele momento, ele deve entender que não tem opção de retornar ao poder, queiram os países amigos, os países vizinhos ou queira o mundo que ele retorne, neste país, não vai retornar ao poder", disse Micheletti, em entrevista à rádio "HRN".

Micheletti reconheceu que ele tinha dito que renunciaria se Zelaya desistisse de voltar à Presidência do país, de onde foi derrubado pelos militares em 28 de junho, quando o Congresso designou o primeiro como governante.

"Colocamos essa posição (de renunciar) antes das eleições (de 29 de novembro), quando ele estava insistindo em que não acontecessem ou boicotassem as eleições (...), meu temor era que não fosse possível esse processo eleitoral tão limpo e tão lindo como aconteceu", disse.

"Fui eleito pelo Congresso e o único que me pode destituir ou tirar da posição é o próprio Congresso Nacional", acrescentou.

"Eu me pergunto: importam alguns dias quando já estamos há praticamente seis meses lidando com estes temas? O que importaria para a comunidade internacional que eu possa ficar um dia, dois dias a mais", antes do novo Governo assumir, em 27 de janeiro, acrescentou.

"Já acabou tudo isso, vamos seguir vivendo em paz, queremos isso.

Fizemos todos os esforços para isso e, neste momento, quando toda a tempestade já passou, não vamos desistir", disse. EFE lam/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG