BANGCOC- A Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) voltou a negar, neste sábado, permissão ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, de se reunir com a líder opositora Aung San Suu Kyi, que está presa.

Reuters

Secretário da ONU, general Ban Ki-moon, fala em Yangon,
antes de encerrar sua viagem de dois dias em Mianmar

A decisão foi informada pelo próprio Ban após um encontro com o líder birmanês, o general Than Shwe, durante seu segundo dia de visita oficial ao país.

O secretário-geral da ONU disse que ficou "profundamente decepcionado" com a resposta que recebeu de Than Shwe, que há 17 anos comanda o regime militar imposto em 1962 em Mianmar por meio de um golpe de Estado.

O general disse que "não era possível" um encontro com Suu Kyi, porque isso representaria uma ingerência no processo judicial ao qual ela está sendo submetida.

Suu Kyi, de 64 anos, é acusada de violar os termos da prisão domiciliar que cumpria há meia década, por receber o americano John William Yettaw, que entrou em sua casa burlando a vigilância policial.

Leia mais sobre: Mianmar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.