Mianmar condena ativista político a prisão perpétua

A justiça de Mianmar condenou a prisão perpétua um ativista político por exibir cartazes que pediam a abertura do Parlamento e o controle da inflação.

AFP |

Ohn Than, de 60 anos, foi preso em 23 de agosto depois de um protesto silencioso diante da embaixada dos Estados Unidos no centro de Yangun com os cartazes citados.

"Foi condenado na quarta-feira no tribunal do distrito oeste a prisão perpétua e a pagar uma multa de mil kyats" (90 centavos de dólar), declarou à AFP o advogado de defesa, Aung Thein.

Ohn Than realizou o protesto no momento em que outros ativistas começavam a se manifestar no país contra o aumento dos preços dos combustíveis.

Após a prisão dos líderes dos protestos, os monges budistas assumiram o comando das manifestações, que se tornaram a maior revolta contra a junta militar birmanesa em quase 20 anos.

As tropas oficiais abriram fogo contra os manifestantes para dispersar os protestos. A repressão deixou pelo menos 31 mortos, segundo a ONU.

Dissidentes políticos em Mianmar afirmam que o governo militar reforçou ainda mais repressão, com um número cada vez maior de detenções e de julgamentos de ativistas.

hla/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG