Mianmar autoriza entrega de ajuda da ONU

A junta militar que governa Mianmar aprovou a entrada no país de um avião da ONU com ajuda para as pessoas atingidas pelo ciclone tropical que devastou partes do sul do país no sábado e deixou milhares de mortos.

Redação com agências internacionais |

Segundo o porta-voz da ONU, Richard Horsey, um avião deve sair da Itália com 25 toneladas de suprimentos.

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a formação dos ciclones



Segundo Horsey, o governo de Mianmar apontou o vice-ministro do Exterior Maung Myint para supervisionar os pedidos de visto dos trabalhadores das agências humanitárias.

Na terça-feira, a mídia estatal confirmou a morte de 22.464 pessoas e disse que outras 41.054 estão desaparecidas. Até um milhão de pessoas estariam desabrigadas na região de Irrawaddy, segundo a Unicef.

Reuters
Imagem tirada pela Real Força Aérea da Tailândia mostra a destruição na cidade de Yangun, nesta terça-feira
Imagem de terça-feira mostra a destruição na cidade de Yangun

Agências de ajuda humanitária dizem que milhares terão que enfrentar fome e doenças e fizeram um apelo para ter acesso imediato aos sobreviventes.

Risco de doença

Sobreviventes do ciclone Nargis enfrentam falta de condições sanitárias e não têm acesso a água limpa, segundo a Unicef, aumentando o risco de malária, dengue e cólera.

"Nesses casos, as crianças ficam extremamente vulneráveis a doenças e à fome e elas precisam de ajuda imediata para sobreviver", disse o diretor da Unicef, Ann Veneman.

Andrew Kirkwood, representante da organização não-governamental Save the Children para Mianmar, disse que a situação no país é grave e que ela exige uma resposta urgente.

"Algumas áreas estão ainda completamente debaixo d'água, água salgada, algumas pessoas não têm água potável e comida. Se ajuda não chegar a essas regiões, o número de mortos pode subir", disse Kirkwood.

Destruição

Algumas agências têm equipes avaliando a situação por terra e a ajuda começou a chegar aos sobreviventes.

O Programa Mundial de Alimentos começou a distribuir comida na principal cidade do país, Yangun, e nos arredores. Partes da região de Irrawaddy permanecem isoladas, e especialistas dizem que será necessário um esforço logístico imenso para atender aos sobreviventes no local.

Cerca de 95% das casas nas cidades de Bogalay foram destruídas, e a maior parte dos 190 mil moradores estariam desabrigados. As cidades vizinhas de Labutta e Pyapon também foram seriamente afetadas.

Kirkwood disse que sua equipe presenciou cenas chocantes em algumas áreas. "Uma equipe se deparou com milhares de mortos em uma cidade, com pilhas de corpos em decomposição no chão", afirmou.

Reuters
erqwrwrqw
Fotos de satélite da Nasa mostram a aproximação do ciclone "Nargis"



AFP


As comunicações, em particular com o exterior, funcionam precariamente e a rede de internet permanece cortada desde sexta-feira passada.

Segundo um funcionário local, o aeroporto de Yangun reabriu na segunda-feira com um gerador "que só estará em funcionamento por cinco ou seis horas".

A Cruz Vermelha começou a distribuir ajudas básicas entre os milhares de desabrigados, como plásticos para cobrir os telhados arrancados pelo ciclone, ou pastilhas para tornar a água potável, além de cobertores e roupa.

Mianmá está localizada no sudeste asiático
(*Com informações da BBC, Reuters, Ansa e AFP)
Leia também:
  • Plebiscito é adiado nas áreas atingidas
  • Governo birmanês declara estado de emergência
  • Autoridades de Mianmá advertem para risco de epidemia 
  • ONU, UE e Estados Unidos oferecem ajuda aos birmaneses

  • Leia mais sobre: ciclones - Mianmar

      Leia tudo sobre: mianmá

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG