Nova York, 22 abr (EFE).- A atriz e embaixadora de Boa Vontade da ONU, Mia Farrow, está disposta a iniciar uma greve de fome na semana que vem em apoio à população sudanesa de Darfur, um conflito sobre o qual pediu mais atenção internacional.

"Em 27 de abril, começarei um jejum só de água em solidariedade para com o povo de Darfur e como expressão pessoal da minha indignação com um mundo que é capaz de observar com passividade como homens, mulheres e crianças inocentes morrem inutilmente de fome, sede e doenças", explica Farrow no site www.miafarrow.org.

A atriz acrescenta que a crise nessa região do Sudão se agravou em 4 de março, depois que o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu uma ordem de detenção contra o presidente sudanês, Omar al-Bashir, "por seu papel essencial no assassinato, estupro, tortura e deslocamento de milhões".

A atriz lembra que 13 agências internacionais de ajuda humanitária e três sudanesas foram expulsas de Darfur em resposta à decisão.

Apesar de o representante do Sudão perante a ONU, o embaixador Abdalmahmood Abdalhaleem, ter afirmado que o Governo do país pode preencher o vazio deixado pelas entidades, Farrow afirma que a ONU não crê que isso seja possível.

Segundo a estrela, em maio mais de um milhão de pessoas ficarão sem ajuda alimentícia, assistência médica e água potável.

Farrow explica que fará a greve de fome com a esperança de que os líderes mundiais, "que sabem o que é justo e adequado", façam um apelo ao Governo do Sudão para que readmita as agências.

Outra sugestão da estrela é que o Executivo sudanês garanta que se preencha esse vazio, permitindo o acesso de pessoal de ajuda à população "antes que comecem a morrer em um número que pode deixar pequeno o genocídio de Ruanda".

A atriz faz um apelo ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a outros líderes para que ajudem a criar um processo de paz crível que coloque fim ao sofrimento em Darfur.

Farrow confia em que outros defensores dos direitos humanos e cidadãos no mundo se unam a seu jejum, "mesmo que seja por um dia".

EFE vm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.