México teve 15.273 mortes relacionadas ao narcotráfico em 2010

Crimes envolvendo venda ilegal de drogas e armas afetaram 73 municípios; índice é o mais alto desde ofensiva lançada por governo

AFP |

O número de homicídios relacionados com o crime organizado no México chegou a 15.273 em 2010, o índice mais alto desde que foi iniciada, em dezembro de 2006, uma ofensiva militar contra o narcotráfico, informou nesta quarta-feira o governo.

AP
Corpos de homens cujas mortes estão relacionadas ao nacotráfico, em Cuernavaca, no México (foto de arquivo)
"Em 2010 foi registrado o maior número de homicídios, 15.273, embora seja importante ressaltar que a tendência se estabilizou no terceiro trimestre e, desde então, ocorreu uma leve queda", disse o porta-voz oficial do governo sobre questões de segurança, Alejandro Poiré.

Poiré ressaltou que esses homicídios relacionados ao narcotráfico concentram-se em três Estados do país: Chihuahua, no norte; Tamapulipas, no nordeste; e Sinaloa, no oeste, que registraram 50% dos casos.

No total, os crimes relacionados ao narcotráfico afetaram 73 dos 2.430 municípios do país, segundo o governo.

O número de mortes em 2010 corresponde quase à metade das ocorridas no México desde que o governo do presidente Felipe Calderón iniciou, em dezembro de 2006, uma ofensiva contra os cartéis, com a participação de cerca de 50 mil militares e policiais federais.

Em dezembro, o Ministério Público havia emitido um balanço de 30,2 mil mortos desde dezembro de 2006, dos quais 12,5 mil ocorreram entre janeiro e novembro de 2010.

    Leia tudo sobre: méxiconarcotráficoviolênciacrimesfelipe calderón

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG