Tamanho do texto

Crimes envolvendo venda ilegal de drogas e armas afetaram 73 municípios; índice é o mais alto desde ofensiva lançada por governo

O número de homicídios relacionados com o crime organizado no México chegou a 15.273 em 2010, o índice mais alto desde que foi iniciada, em dezembro de 2006, uma ofensiva militar contra o narcotráfico, informou nesta quarta-feira o governo.

Corpos de homens cujas mortes estão relacionadas ao nacotráfico, em Cuernavaca, no México (foto de arquivo)
AP
Corpos de homens cujas mortes estão relacionadas ao nacotráfico, em Cuernavaca, no México (foto de arquivo)
"Em 2010 foi registrado o maior número de homicídios, 15.273, embora seja importante ressaltar que a tendência se estabilizou no terceiro trimestre e, desde então, ocorreu uma leve queda", disse o porta-voz oficial do governo sobre questões de segurança, Alejandro Poiré.

Poiré ressaltou que esses homicídios relacionados ao narcotráfico concentram-se em três Estados do país: Chihuahua, no norte; Tamapulipas, no nordeste; e Sinaloa, no oeste, que registraram 50% dos casos.

No total, os crimes relacionados ao narcotráfico afetaram 73 dos 2.430 municípios do país, segundo o governo.

O número de mortes em 2010 corresponde quase à metade das ocorridas no México desde que o governo do presidente Felipe Calderón iniciou, em dezembro de 2006, uma ofensiva contra os cartéis, com a participação de cerca de 50 mil militares e policiais federais.

Em dezembro, o Ministério Público havia emitido um balanço de 30,2 mil mortos desde dezembro de 2006, dos quais 12,5 mil ocorreram entre janeiro e novembro de 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.