CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Autoridades do México capturaram dois supostos traficantes de drogas colombianos que teriam atuado como elo de ligação entre os dois principais carteis de narcotráfico dos dois países para a lavagem de dinheiro, informou nesta quinta-feira a Secretaria de Segurança Pública mexicana. Os presos -- Marcos Iván Alexander Navarro Espinoza e David Dagoberto García, um ex-militar-- seriam integrantes do colombiano cartel do Norte del Valle e teriam ligações com o cartel mexicano de Sinaloa, dirigido por Joaquín Chapo Guzmán, traficante mexicano mais procurado no país.

Espinoza é acusado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de realizar operações de lavagem de dinheiro da Colômbia com a colaboração de Salomón Camacho, preso em janeiro na Venezuela e considerado um dos 10 traficantes mais procurados, segundo comunicado da secretaria.

O tráfico de drogas é o principal problema de segurança do México e tem afugentado os investimentos no país nos últimos anos.

Os confrontos entre os carteis e com as forças de segurança do país já deixou cerca de 19 mil mortos desde que o presidente Felipe Calderón assumiu o poder em dezembro de 2006.

A violência atingiu ainda civis, principalmente no norte do país, apesar do envio de dezenas de milhares de militares que atuam ao lado da polícia federal mexicana.

A secretaria informou que também prendeu José Antonio "Don Pepe" Medina Arreguín, conhecido também como "o rei da heroína", suposto líder de uma organização dedicada à entrada de cerca de 200 quilos de heroína por mês aos Estados Unidos, assim como metafentaminas.

Medina pode ser extraditado a esse país, principal consumidor de drogas do mundo.

(Reportagem de Anahí Rama)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.