O México nunca ocultou informação sobre o surgimento do vírus da gripe suína, afirmou nesta terça-feira o ministro mexicano da Saúde, José Angel Córdova, em resposta a uma acusação do líder cubano Fidel Castro.

"Insistimos, relatamos com detalhes toda a história dos casos da OMS (Organização Mundial da Saúde). Nunca escondemos nada", afirmou Córdova em sua entrevista diária à imprensa sobre a epidemia.

O ministro afirmou que não enviará informe algum ao líder cubano.

"Melhor será se a chancelaria estabelecer estas funções de relações exteriores", destacou em entrevista à imprensa, indicando que o número de mortos aumentou de 56 para 58 na epidemia no México, além dos 2.224 casos.

O líder cubano Fidel Castro acusou na segunda-feira à noite o México de ocultar a epidemia de gripe A H1N1 para não impedir a visita do presidente americano Barack Obama, no mesmo dia em que Cuba confirmou o primeiro caso da doença.

"As autoridades mexicanas não informaram ao mundo a presença da mesma esperando a visita de Obama. Agora nos ameaçam com suspender a do presidente (do México, Felipe) Calderón", afirma Fidel em um artigo publicado no site estatal Cubadebate.

"Neste momento nós e dezenas de outros países pagamos o pato e ainda nos acusam de medidas lesivas ao México", completa o texto, em uma referência à decisão de Cuba de suspender, desde 29 de abril, os voos para o país.

ol/lm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.