México lança esquadrão anti-seqüestro

As autoridades mexicanas lançaram um esquadrão anti-seqüestro para acalmar a indignação da opinião pública após o seqüestro e morte de Fernando Martí, de 14 anos, filho de um empresário proeminente. A força contará com cerca de 300 policiais em cinco cidades, em centros que deverão estar abertos 24 horas por dia.

BBC Brasil |

O coordenador de segurança do Departamento de Segurança Pública, Luis Cárdenas, disse que este é um "esforço sem precedentes" da Polícia Federal mexicana.

As unidades especiais trabalharão muito próximas às autoridades dos 32 Estados mexicanos, para compartilhar informações sobre criminosos em um banco de dados nacional chamado Plataforma México.

Envolvimento policial
O corpo de Fernando Martí, filho do fundador da mais famosa cadeia de lojas de material esportivo do México, foi encontrado já em decomposição, no porta-malas de um carro no dia 1º de agosto. Ele havia sido seqüestrado em junho e há notícia de que a família pagou o resgate.

Vários policiais foram presos em conexão com o crime, o que deixou ainda mais indignada a opinião pública.

Autoridades locais e nacionais foram acusadas de não estarem fazendo o suficiente para manter a lei e a ordem.

Foram registrados mais de 430 seqüestros em 2007 no país - um aumento de 35% em relação ao ano anterior.

Um total de 59 pessoas foram mortas neste tipo de crime nos últimos dois anos, desde que o presidente Felipe Calderón assumiu o cargo.

Calderón vem concentrando muita atenção no combate aos cartéis da droga do país, que foram responsáveis por cerca de 2 mil mortes este ano.

Mas a atenção do público está nos seqüestros, que podem afetar famílias comuns a qualquer momento e até envolver adolescentes.

Estão sendo programadas várias marchas para o final deste mês em protesto contra a aparente falta de progresso em reprimir este tipo de crime.

O governo descartou sugestões da adoção da pena de morte, mas o presidente Calderón pediu ao Congresso na semana passada para aprovar projeto-de-lei que imponha aos seqüestradores pena de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG