México extradita ex-presidente Alfonso Portillo para Guatemala

O ex-presidente guatemalteco Alfonso Portillo (2000-2004) foi extraditado do México para a Guatemala, em decorrência de acusações de corrupção, informou a Procuradoria-Geral (PGR) mexicana em nota divulgada nesta terça-feira.

AFP |

"Realizou-se, no dia de hoje (terça), o traslado de Alfonso Antonio Portillo Cabrera para a República da Guatemala, em termos do disposto pelo Tratado de Extradição (...) Portillo Cabrera foi entregue hoje às autoridades guatemaltecas", destacou a PGR, em um comunicado.

Segundo o texto, na sexta-feira passada, Portillo manifestou por escrito "seu consentimento expresso" para ser extraditado para a Guatemala, onde enfrenta acusações de atos de corrupção.

A Procuradoria guatemalteca acusa o ex-presidente de transferir 15,8 milhões de dólares do Ministério da Defesa, dos quais 4,6 milhões foram parar no Banco de Crédito Hipotecário Nacional, de onde desapareceram, posteriormente.

A Guatemala apresentou o pedido de extradição de Portillo em 20 de outubro de 2005, e o ex-presidente permaneceu em liberdade durante o processo, graças aos diversos amparos que lhe foram concedidos pela Justiça mexicana.

Portillo se refugiou no México, após concluir seu mandato e depois que a máxima instância judicial de seu país retirou a imunidade de que gozava por assumir, automaticamente, uma vaga no Parlamento Centro-Americano.

A extradição foi concedida pelo governo mexicano em 30 de outubro de 2006 e, em janeiro passado, o ex-presidente tentou um último recurso de inconstitucionalidade na Suprema Corte de Justiça do México para evitar seu retorno para a Guatemala.

sem/tt/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG