México estima taxa de mortalidade da gripe suína em 1,2%

México, 1 mai (EFE).- O Governo do México estimou hoje que a taxa de mortalidade da gripe suína no país é de 1,2% e advertiu que as medidas preventivas seguirão ainda por algum tempo.

EFE |

O cálculo foi divulgado por Guillermo Ruiz, chefe do Departamento de Infectologia do Instituto Nacional de Ciências Médicas e Nutrição Salvador Zubirán, da capital mexicana.

Segundo Ruiz, de todos os pacientes que ingressaram no hospital, "só 25% tinham os traços de doença similares à influenza e, destes, aproximadamente 10% foram hospitalizados".

Ruiz afirmou que a estimativa, realizada a partir de 1.500 registros do instituto Salvador Zubirán, se aproxima dos cálculos da Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta, segundo ele, que "a epidemia deveria estar em uma categoria de mortalidade de entre 0,3% e 1%".

Na mesma coletiva de imprensa, o secretário (ministro) de Saúde, José Ángel Córdova, explicou que, quanto à prevenção do contágio, "há medidas específicas que não vão ser retiradas durante algum tempo".

O ministro citou como exemplo a "lavagem de mãos e que se evite certas coisas", como o aperto de mão e o beijo.

"Precisaremos ter um diminuição grande no número de casos e tendência ao desaparecimento", explicou Córdova, quando questionado sobre o fim da suspensão de aulas e outras atividades no país.

Segundo ele, embora "o número de casos não tenha evoluído de maneira exponencial", para anunciar que o surto está controlado os casos devem desaparecer completamente.

Para avançar no diagnóstico da situação, o México conta na atualidade com nove equipamentos especializados que fazem, cada um, 66 testes diários, o que dá uma média de perto de 600 exames por dia. Laboratórios de Canadá e Estados Unidos podem fazer outros 500.

Por isso, as autoridades consideram que nesse ritmo poderão atualizar completamente nos próximos dois dias dados sobre a propagação da epidemia, que deixou até agora 16 mortos e 381 infectados no país. EFE rac/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG