Paris, 1 fev (EFE).- Após saber do terceiro assassinato de jornalista em menos de um mês, a ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF) afirmou hoje que o México é o país mais perigoso da América Latina para a imprensa.

"As recentes ameaças contra jornalistas não provocaram a mobilização das autoridades, em algumas ocasiões envolvidas nesses crimes", denunciou a organização em comunicado.

Jorge Ochoa Martínez, diretor do jornal "El Sol de la Costa" e fundador da revista "El Oportuno", de 55 anos, foi assassinado a tiros no estado de Guerrero, em 29 de janeiro.

Com a morte de Jorge, chegou a 61 o número de jornalistas assassinados no México desde 2000.

Segundo uma lista elaborada anualmente pela RSF, o México é apenas o 137º país do mundo em liberdade de imprensa. EFE jaf/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.