México diz que vírus da gripe suína teria vindo de Ásia ou EUA

México, 28 abr (EFE).- A origem do surto da gripe suína poderia ser a Ásia ou os Estados Unidos, afirmou hoje o diretor-geral do Centro Nacional de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças mexicano, Miguel Ángel Lezana, que admitiu que é muito difícil verificar onde o vírus começou a se propagar.

EFE |

Em entrevista, Lezana explicou que a sequência do genoma "corresponde a uma estirpe euro-asiática" e "é muito provável que ela não se encontre circulando nos porcos no continente americano".

"A recombinação do vírus pode ter acontecido na Ásia e pode ter chegado através de uma pessoa que viajou ao continente americano", acrescentou.

Lezana descartou que o vírus tenha mutado na comunidade de La Gloria, no município de Perote, no estado de Veracruz.

Ali houve o caso de uma criança com o vírus que sobreviveu, no marco de uma investigação sobre um surto de gripe que começou a ser estudado em 9 de março e terminou de ser analisado em 10 de abril.

O diretor-geral do Centro mexicano explicou que a teoria de que uma fazenda de porcos próxima fosse a causa não tem sustento, porque o local se encontra a 80 quilômetros e porque nenhum dos habitantes de La Gloria trabalha ali.

Além disso, a Secretaria de Agricultura "fez um estudo muito cuidadoso" da fazenda e "não foram encontrados porcos infectados".

Lezana disse que "o vírus é incapaz de se reproduzir por si próprio", e que precisou haver "uma transmissão humana" entre o caso de Veracruz e o outro detectado no México, uma mulher do estado de Oaxaca, sul, que morreu em 13 de abril.

O funcionário admitiu que o surto de gripe suína tem "potencial de pandemia", porque "demonstrou que pode ser transmitido de humano para humano", como afirma a Organização Mundial da Saúde (OMS). EFE rac/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG