México diz que próxima semana é chave para conter nova gripe

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A próxima semana será crucial para saber se o México conseguiu conter a epidemia da nova gripe H1N1, que se disseminou por 33 países, disse nesta sexta-feira o ministro de Saúde, José Angel Córdova. Depois de autoridades do país terem determinado medidas radicais para evitar a propagação do novo tipo de gripe, como o fechamento de restaurantes, cinemas e estádios, a tendência é de queda no número de mortes e casos.

Reuters |

Córdova disse que os filtros sanitários em escolas para avaliar se alunos apresentam sintomas serão prorrogados durante a próxima semana, assim como uso de máscaras e lavagem constante das mãos.

"Mais uma semana será crucial para poder ver se esta tendência de queda se mantém", disse Córdoba a jornalistas.

Os colégios, que reúnem mais de 33 milhões de estudantes, são considerados lugares nos quais poderia ocorrer uma retomada de casos, se não houver cuidados especiais.

O novo vírus, inicialmente conhecido como gripe suína, já infectou quase 6.500 pessoas em 33 países. No México, na sexta-feira, chegava a 66 o número de mortes causadas pela doença.

(Reportagem de Miguel Angel Gutiérrez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG