México diz que acidente aéreo que matou ministro parece casual

CIDADE DO MÉXICO - Investigadores que estão no caso do acidente aéreo que matou o ministro do Interior mexicano não encontraram indícios de uma suposta sabotagem ao vôo, disse o ministro das Comunicações Luis Tellez nesta quarta-feira.

Reuters |

O ministro do Interior Juan Camilo Mourino, um aliado próximo do presidente Felipe Calderón e efetivamente o número dois de seu governo, morreu na terça-feira quando um pequeno avião do governo caiu e matou as oito pessoas à bordo. "Até agora, nós não detectamos qualquer indicação que sugira uma hipótese diferente da de acidente", disse Tellez.


Equipes da polícia trabalham no local do acidente / AP

Mourino era encarregado da segurança interna em um país onde predomina um conflito contra divisões de narcotráfico. José Luis Santiago Vasconcelos, figura principal da guerra contra o tráfico de drogas, também morreu.

Durante entrevista coletiva, Tellez disse que investigadores mexicanos, junto com especialistas da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, devem conduzir um "meticuloso e detalhado" inquérito sobre o acidente que poderá levar semanas.

Mais de quatro mil pessoas foram mortas este ano, a maioria traficante de drogas, mas também policiais e soldados.


    Leia tudo sobre: méxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG