México descarta que declaração de pandemia pela gripe afete o país

México, 11 jun (EFE).- O México afirmou hoje que a declaração de pandemia de gripe suína feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é uma questão técnica que, para o país, não tem um impacto grande, afirmou o secretário de Saúde mexicano, José Ángel Córdova.

EFE |

Em entrevista coletiva, o ministro disse que a primeira pandemia do século XXI, que já afetou 74 países, se encontra no México em sua fase de "controle, queda e estabilização", apesar de já não ser uma epidemia, e sim uma endemia.

No entanto, o México, que reportou os primeiros casos no mundo do vírus AH1N1, registrou, nos últimos dias, vários surtos localizados que, de acordo com Córdova, já foram controlados.

Em Xalapa, capital do estado de Veracruz, leste, foram registrados sete casos suspeitos nos últimos dias, mesmo número de contágios contabilizado entre 3 e 4 de junho na cidade de Tuxpan.

Em Iucatã, no sudeste do México, uma escola primária foi fechada, da mesma forma que um centro de ensino na capital mexicana.

Segundo os últimos dados, a epidemia de gripe suína no México já deixou 6.294 contagiados e 109 mortos.

A última morte pelo vírus ocorreu em 31 de maio, e os últimos contágios, no dia 7.

O secretário de Saúde assegurou que o México está preparado para uma possível "segunda onda" de contágios nos meses de novembro e dezembro, coincidindo com inverno (hemisfério norte).

Sobre isso, ressaltou que o país tem uma reserva estratégica de 2,2 milhões de tratamentos antivirais que demonstraram ser eficazes contra a gripe suína.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE jd/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG