México defende apoio fiscal por gripe diante de críticas de empresas

México, 6 mai (EFE).- O ministro da Fazenda do México, Agustín Carstens, defendeu hoje o pacote de estímulo fiscal às empresas do país para resistir aos efeitos negativos da epidemia de gripe suína na economia, diante das críticas feitas por vários setores industriais.

EFE |

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

O pacote, no valor de 17,4 bilhões de pesos (US$ 1,312 bilhão), dos quais 10 bilhões de pesos (US$ 757,5 milhões) correspondem a impostos sobre a renda que o Governo deixará de arrecadar por causa da crise sanitária, foi qualificado de "enganoso" por algumas organizações.

As medidas do Governo são "absurdas", disse ao jornal "Reforma" o diretor-geral da Câmara Nacional da Indústria da Transformação (Canacintra) no estado de Nuevo León, Guillermo Dillon.

"Se (o Governo) não tem dinheiro para ajudar as empresas nesta situação, que digam, porque isso verdadeiramente não faz sentido", acrescentou.

O Governo estima que a crise sanitária terá um impacto de entre 0,3% e 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB), com perdas de cerca de 30 bilhões de pesos (US$ 2,266 bilhões).

Segundo o Executivo, no caso mais extremo observado, uma redução de 0,5% na taxa de crescimento levaria a uma menor arrecadação de 10 bilhões de pesos.

O presidente da Associação Nacional de Empresários Independentes, Fernando Turner, disse que "a Fazenda está enganando o presidente e a opinião pública".

Em declarações à "W Rádio", o ministro da Fazenda afirmou hoje que os 10 bilhões de pesos não são um engano, mas um verdadeiro "buraco nas finanças públicas".

"O que estamos dizendo é que não estamos tomando medidas para resistir a essa queda", disse Carstens.

O funcionário assegurou que o Governo não vai "contrair" a despesa nem "aumentar" os impostos para tentar recuperar esse dinheiro que deixará de receber em conceito de impostos. EFE jd/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG