México crê que epidemia de gripe suína durará menos de 3 meses

México, 29 abr (EFE).- O Governo mexicano disse esperar que a epidemia de gripe suína que afeta o país dure menos de três meses, o que permitirá que a economia possa se recuperar rapidamente, afirmou hoje o ministro da Fazenda do México, Agustín Carstens.

EFE |

"Se formos efetivos com as medidas (...) e caso se consiga romper o ciclo reprodutivo do vírus, eu acho que a parte crítica da epidemia poderia ser combatida antes", afirmou hoje o ministro em uma entrevista ao canal "Televisa".

De acordo com os últimos números disponíveis, o número confirmado de pessoas infectadas com a gripe suína no México é de 99, das quais oito morreram devido ao vírus.

No entanto, as autoridades investigam mais de 100 mortes suspeitas.

Os contágios aparecem principalmente na capital mexicana, no Estado do México, em Colima, Veracruz e Oaxaca.

"Nas últimas 48 horas as coisas melhoraram muito do ponto de vista da capacidade do Governo de fazer um bom diagnóstico", assegurou Carstens.

Segundo ele, na medida em que o Governo conta já com máquinas especializadas para a detecção rápida do vírus, se poderá "estabelecer se as medidas tomadas estão funcionando" e se permitirá ao Executivo "reagir e atuar de maneira efetiva".

"As coisas estão tendendo a se estabilizar e há possibilidades boas de que isso melhore", apontou o ministro da Fazenda.

Carstens disse que a epidemia de gripe suína que castiga o México desde a semana passada provocará uma redução da atividade econômica de entre 0,3% e 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Os setores mais afetados serão, segundo Carstens, o turismo, a aviação e o transporte, que "são muito vulneráveis perante esta circunstância".

No entanto, o ministro explicou que esses setores serão afetados exclusivamente durante a presença da epidemia, ao contrário do que acontece em catástrofes como os furacões. EFE jd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG