México confirma existência de segundo sobrevivente de massacre

Segundo equatoriano Luis Freddy Lala, que conseguiu escapar da chacina de imigrantes, sobrevivente seria hondurenho

iG São Paulo |

Mais um imigrantes latinoamericano conseguiu escapar ileso do massacre em uma fazenda em San Fernando, no Estado de Tamaulipas, norte do México. Nesta terça-feira, o governo mexicano confirmou a existência de "um segundo sobrevivente", de nacionalidade hondurenha, na chacina de 72 imigrantes ilegais ocorrido no mês passado.

AP
Equatoriano Luis Freddy Lala Pomavilla em hospital em Matamoros, no leste do México. Segundo ele, há mais um sobrevivente do massacre
A confirmação foi feita por fontes governamentais depois que o presidente do Equador, Rafael Correa, deciciu tornar público que o equatoriano sobrevivente Luis Freddy Lala Pomavilla aceitasse revelar a existência de mais um sobrevivente.

Apontado até agora como o único sobrevivente do massacre, o equatoriano Luis Freddy Lala Pomavilla, disse que outra pessoa, chamado apenas de hondurenho, o salvou da morte.

"Freddy Lala já está seguro em nosso país. Ele contou que na verdade existe um segundo sobrevivente, mas que não queremos colocar em risco, é um hondurenho", disse Correa aos órgãos de imprensa locais.

Nesta quarta-feira, o segundo sobrevivente do massacre prestou depoimento à Procuradoria Geral da República (PGR). Um porta-voz da PGR explicou que o homem de origem hondurenha, que não teve sua identidade revelada, encontra-se no México "sob resguardo" da Procuradoria, mas evitou especificar o local onde acontece o testemunho.

O chanceler de Honduras, Mario Canahuati, rotulou nesta quarta-feira o presidente do Equador, Rafael Correa, de "irresponsável" por revelar que o segundo sobrevivente do massacre era hondurenho. "Há uma testemunha encoberta que, lamentavelmente, de forma irresponsável foi anunciada por uma pessoa que deveria ter prudência, levando en consideração o risco que pode correr este cidadão e sua família", disse o chanceler.

Ainda nesta quarta-feira, os corpos de 16 hondurenhos vítimas da chacina no México chegaram a Tegucigalpa, capital de Honduras. Um avião da Força Aérea Mexicana levou os corpos até o aeroporto da capital.

Equatoriano

Na segunda-feira, o equatoriano sobrevivente chegou ao Equador após ser transferido do México em um avião presidencial . Ele está sob proteção, em local seguro, mantido sob sigilo.

Lala escapou do rancho onde ocorreu o massacre em 23 de agosto e ligou para Marinha. No local, os militares encontraram os 72 corpos dos imigrantes executados, supostamente, por criminosos da organização Los Zetas. Até agora foram identificados entre as vítimas hondurenhos, salvadorenhos, guatemaltecos e o brasileiro natural de Minas Gerais Juliard Aires Fernandes, de 20 anos . Os documentos do mineiro Hermínio Cardoso dos Santos, de 24 anos, também foram encontrados, mas seu corpo ainda não foi identificado.

No início da semana, a polícia federal mexicana destituiu quase 10% de seus efetivos . Autoridades mexicanas decidiram ainda trazer para a capital Cidade do México os corpos das vítimas do massacre para que o processo de identificação fosse agilizado.

Arte/iG
Presidente mexicano, Felipe Calderón, lançou guerra contra o narcotráfico logo após posse
*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: méxicodrogastráficocrimesbrasileirosnarcotráfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG