México: comandante da polícia é assassinado, apesar do reforço militar

Um comandante da polícia foi assassinado por um comando armado do crime organizado no estado mexicano de Chihuahua (norte), o mais violento do México, onde entre a tarde de segunda-feira para terça-feira morreram quatro pessoas, informaram nesta terça-feira autoridades locais.

AFP |

"O comandante foi interceptado segunda-feira à tarde por um comando de homens armados quando circulava em uma caminhonete oficial" em Chihuahua, capital do estado, disse um relatório da Procuradoria da Justiça do estado.

O homicídio aconteceu apesar de o governo federal ter reforçado a segurança nesse estado limítrofe com os EUA com o envio há duas semanas de 5 mil militares para se juntarem a 12.500 militares e policiais.

O primeiro comandante da Agência estatal de investigações (AEI), Juan Salaís, havia sido ameaçado ano passado por mensagens em cartazes pelo bando do foragido Joaquín "Chapo" Guzmán, líder do cartel de Sinaloa.

Outros três homens foram assassinados em atos separados na mesma cidade.

Chihuahua é palco de uma guerra entre o cartel de Juárez, liderado pelo narcotraficante Vicente Carrillo, contra o Sinaloa, do 'Chapo' Guzmán por quem o governo mexicano oferece uma recompensa de dois milhões de dólares.

A guerra entre as duas organizações criminosas pelo tráfico de drogas nos EUA deixou 2.400 mortos em 2008 nesse estado, de um total de mais de 5.300 em todo o país, apesar de o governo federal ter mobilizado mais de 36.000 militares em todo o país para combater o narcotráfico.

str/lp/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG