México: 20 mortos por gripe suína

O México amanheceu neste sábado em estado de alerta diante da epidemia de uma nova variedade de gripe suína, que já matou 20 pessoas, além de 48 mortes que podem ter sido caudadas pelo mesmo vírus.

AFP |

Além disso, a doença infectou oito pessoas nos EUA e desencadeou medidas de prevenção em mais sete países da região, entre eles o Brasil.

"Foram certificadas 20 mortes pelo vírus e 48 mortes estão sendo investigadas sob suspeita de terem sido causadas pela mesma doença no México", afirmou sexta-feira o ministro da Saúde, José Ángel Córdova, em declarações ao canal Televisa.

Das 20 mortes confirmadas, 13 ocorreram na Cidade do México, quatro no estado de San Luis Potosí (centro), dois na Baixa Califórnia (noroeste) e uma em Oaxaca (sudeste).

Além disso, 1.004 pessoas foram infectadas somente na capital e sua área metropolitana, onde vivem 20 milhões de pessoas.

"Mas trata-se de uma epidemia, não de uma pandemia", disse Córdova.

Contrariamente ao que foi anunciado, a população não será vacinada contra a doença, porque não há nenhum medicamento que garanta proteção por se tratar de uma nova variação do vírus.

Mas o governo indicou que possui um milhão de doses de um antiviral específico que já está sendo aplicado nos doentes.

"O governo tomou e continuará tomando todas as medidas pertinentes e decretará as medidas de urgência ou prevenção que forem necessárias", declarou o presidente Felipe Calderón, mostrando-se confiante em superar a epidemia.

"Na Cidade do México e arredores as aulas foram suspensas. As escolas e os museus também devem ficar fechados na próxima semana", segundo Córdova.

O governo recomendou ao povo que não utilize o transporte público nem vá a lugares muito movimentados, especialmente fechados. Mesmo assim, na noite de sexta-feira, muitos jovens ignoraram estas advertências.

Em La Condesa, um dos bairros de vida noturna badalada da capital, bares e restaurantes recebiam pelo menos a metade de seus clientes habituais, de acordo com os trabalhadores locais.

As autoridades dizem que estes estabelecimentos são os mais propícios a infecções, dado que as idades dos mortos variam entre 20 e 40 anos, como a da maioria dos clientes.

A Organização Mundial da Saúde disse estar "muito preocupada e suspeita que pode ter causado a morte de 60 pessoas no México".

Nos Estados Unidos a gripe suína não deixou mortos, mas infectou oito pessoas, das quais apenas uma está hospitalizada.

Diante deste alerta, outros sete países (Nicarágua, Peru, Chile, Costa Rica, Brasil, Canadá e Colômbia- adotaram sexta-feira medidas de prevenção contra a entrada da epidemia em seus territórios, entre elas a vigilância estrita de cargas, equipamentos e acompanhamento de casos suspeitos nos aeroportos, passagens fronteiriça e portos.

De acordo com o ministro da Saúde, a doença foi desencadeada por um novo vírus que em 1976 e 1988 deu origem a casos isolados nos Estados Unidos e provavelmente veio da Europa ou da Ásia.

"O vírus sofreu mutação e foi transportado por um indivíduo e depois começou a se reproduzir", explicou Córdova.

A gripe suína, um vírus da gripe tipo A, pode se alastrar de forma muito rápida.

gbv/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG