Mexicano paga para ser morto e sua família receber seguro

Tampico (México), 21 ago (EFE).- Um médico mexicano planejou sua própria morte e contratou uma pessoa para executar o plano, com o objetivo de que sua família pudesse receber um seguro de vida no valor de US$ 98 mil, disseram hoje fontes oficiais.

EFE |

O diretor da Polícia do estado de Tamaulipas, no noroeste do país, Amarante Miranda Morato, disse que o médico foi assassinado com um tiro na cabeça em 16 de agosto no porto de Tampico, no Golfo do México.

Segundo ele, graças às investigações foi possível a detenção da mulher do médico, Oralia Mentado, que confessou o plano e a identidade do matador de aluguel, Pedro Catarino Fajardo.

Segundo a confissão da esposa, o médico assassinado tinha grandes dívidas e, por isso, planejou sua morte para que sua família pudesse sanar o débito com o seguro de vida recebido.

"A mulher disse que em 16 de agosto recebeu uma ligação de Catarino Fajardo, que informou que tinha feito seu trabalho e que tinha deixado o cadáver próximo a sua casa", explicou Miranda, que disse que a esposa do médico segue detida. EFE me/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG