Mexicano ficará 16 meses preso nos EUA por vender pele de tartaruga

O mexicano Carlos Leal Barragan foi sentenciado, nesta sexta-feira, a 16 meses de prisão, nos Estados Unidos, por contrabandear pele de tartaruga marinha, além de botas, sapatos e cintos fabricados com espécies de tartarugas protegidas internacionalmente.

AFP |

Barragan foi detido em setembro passado, após uma investigação do serviço americano de Pesca e Vida Selvagem pela venda ilegal de partes de tartarugas marinhas de China e México.

Durante muitos anos, a família de Leal Barragan, de Ciudad Guzmán, no México, comprou tartarugas marinhas de pescadores e tingiu sua pele para vendê-la a fabricantes de sapatos no México e nos Estados Unidos.

Leal Barragan despachou três embarques no valor de cerca de 30.000 dólares com pelo menos 360 peças de pele de tartaruga, assim como botas, cintos e sapatos do México, no ano passado, informou o Departamento de Justiça.

Além do período na prisão, uma corte de distrito no Colorado (oeste) concedeu a Leal Barragan três anos de liberdade vigiada.

A venda de tartarugas é proibida pela Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (Cites), um tratado internacional criado para controlar o comércio de plantas e animais ameaçados de extinção.

lt/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG