Meteorito poderia estar por trás da lenda de Sodoma e Gomorra

Londres, 1 abr (EFE) - A trajetória de um meteorito e sua posterior explosão em 3123 a.C.

EFE |

poderiam explicar a lenda bíblica da destruição das cidades de Sodoma e Gomorra em meio a uma chuva de fogo e enxofre, segundo um cientista da Universidade inglesa de Bristol.

A descoberta ocorreu depois de ter sido decifrada uma tábua de argila do Museu Britânico que tem inscrições cuneiformes e que data de 700 a.C, trabalho realizado por um professor de Aeronáutica da Universidade de Bristol, Mark Hempsell.

Em entrevista à Agência Efe, Hempsell indicou que o deciframento da mensagem da tábua de argila permite explicar alguns eventos ocorridos na primeira etapa da Idade de Bronze.

Nela, um escriba copiou as observações feitas por um astrônomo sumério em 29 de junho de 3123 a.C., entre as quais se encontra a trajetória de um asteróide antes de impactar com a Terra.

Isso não só poderia explicar a lenda de Sodoma e Gomorra (localizadas em algum lugar da região do mar Morto), mas a trajetória descrita pelo astrônomo há mais de cinco mil anos serve para responder ao enigma do deslizamento de terras que existe em Köfels (Áustria).

Como um meteorito pôde destruir Sodoma e Gomorra, no Oriente Médio, provocar um deslizamento de terras de cinco quilômetros na Áustria e se dissipar sem deixar uma cratera? Mark Hempsell descobriu as respostas após decifrar a argila suméria.

Graças a softwares capazes de simular o céu de há milhares de anos e as descrições milenares, Hempsell e o diretor da Reaction Engines Ltda, Alan Bond, chegaram à conclusão de que o meteorito colidiu com uma montanha antes atingir Köfels.

Isto fez com que explodisse e se transformasse em uma bola de fogo durante sua viagem vale abaixo, o que explicaria o deslizamento de terras e o fato de não haver cratera, já que, ao ocorrer a colisão em Köfels, o material do meteorito não era sólido.

A explosão do asteróide originou uma nuvem com gases e materiais em suspensão a temperaturas elevadas que viajou até o Leste do Mediterrâneo, alcançando Egito, e que pode ter causado a morte e a destruição de povoações inteiras.

O professor afirmou à Agência Efe que acredita que os efeitos do meteorito deram lugar à lenda de Sodoma e Gomorra, na qual se conta que Deus destruiu estas cidades pecadoras com fogo e enxofre.

A Bíblia, em Gênesis, diz que "O Senhor fez então cair sobre Sodoma e Gomorra uma chuva de enxofre e de fogo", que é, segundo os cientistas, a descrição mais parecida com uma tempestade de meteoritos.

No entanto, Hempsell se mostrou aberto a que outros pesquisadores dêem palpites sobre o assunto e levantem novas hipóteses sobre o que aconteceu com as duas cidades.

A tábua cuneiforme, crucial para estas descobertas e conhecida como "planisfério", foi encontrada no Real Palacio de Ninawa (no Iraque) em meados de século XIX e se transformou em um objeto de estudo de muitos pesquisadores. EFE vmg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG