Mais de 3,6 mil fábricas de brinquedos na China fecharam suas portas nos primeiros oito meses deste ano depois que tiveram sua reputação abalada por violar padrões internacionais de saúde e segurança, segundo dados oficiais do governo chinês. De acordo com um relatório divulgado pelo Departamento de Alfândega, o número representa metade do total de produtores de brinquedos do país, maior exportador mundial do setor.

Em entrevista à agência estatal chinesa Xinhua, o vice-presidente da Associação de Brinquedos chineses, Liang Mei, disse que 2007 foi o ano "mais difícil em décadas para a indústria".

No ano passado, milhares de brinquedos fabricados na China foram recolhidos em todo mundo após apresentarem irregularidades, como presença de substâncias tóxicas ou de objetos, como ímãs, que se soltam facilmente e podem ser engolidos por crianças.

O país foi alvo de críticas, e as autoridades chinesas reagiram fechando centenas de fabricantes, revogando 600 licenças de exportação e obrigando outros a cumprir as regras de segurança.

Segundo o relatório do governo, para se adequar às novas regras, os produtores tiveram de fazer investimentos, o que aumentou o custo da produção e forçou o reajuste dos preços. A isso, somou-se o fortalecimento do iuan, a moeda chinesa, o que desfavorece as exportações.

O governo ainda afirmou que a indústria de brinquedos foi fortemente afetada pela crise financeira mundial, que já resultou na diminuição em 5% das importações de brinquedos chineses pelos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.