Mesmo absolvidos, detidos de Guantánamo podem não ser libertados, diz Pentágono

Vários detidos da base naval de Guantánamo (Cuba) correm o risco de nunca serem libertados devido ao perigo que representam; estariam neste caso, inclusive, aqueles levados à justiça e absolvidos por ela, afirmou nesta terça-feira um porta-voz do Pentágono.

AFP |

Geoff Morrell, encarregado de comunicação do departamento de Defesa americano fez estas declarações num momento em que se torna iminente o veredicto sobre a culpabilidade ou não de Salim Hamdan, o ex-motorista de Osama Bin Laden, ante um tribunal militar de exceção.

Embora tenha a possibilidade de apelar a uma corte federal, "em curto prazo, pelo menos, será considerado um 'combatente inimigo' e continuará sendo perigoso", disse Morrell. "Provavelmente, continuará detido depois por um certo período", acrescentou.

Segundo o funcionário do Pentágono, apesar de estarem previstos pelo menos 20 processos em tribunais de exceção, cerca de 265 dos detidos não serão julgados, nem libertados.


Leia mais sobre: Guantánamo

    Leia tudo sobre: guantánamo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG