Merkel visita prisão da Stasi e lembra crimes da Alemanha Oriental

Berlim, 5 mai (EFE).- A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, lembrou hoje os crimes da República Democrática Alemã (RDA), onde cresceu, em visita à antiga prisão central da Stasi, a então polícia política do regime local.

EFE |

A chefe de Governo pressionou para que não se esqueça, com o passar do tempo, as injustiças cometidas por essa ditadura e que se mantenha viva a lembrança de suas vítimas, perante o 20º aniversário da queda do Muro de Berlim, no próximo dia 9 de novembro.

Para Merkel, a antiga prisão central da Stasi, no que foi o setor oriental de Berlim, é lugar idôneo para ilustrar esses crimes e, por isso, é importante mantê-la aberta como centro de documentação.

A chanceler foi a primeira chefe de Governo alemã a visitar o local.

As dependências do que foi a prisão central da Stasi se transformaram em centro de documentação após a reunificação e recebe cerca de 250 mil visitantes ao ano.

A prisão da Stasi foi aberta em 1951, nas mesmas dependências que os soviéticos tinham utilizado como penitenciária central em seu setor de Berlim, após o fim do Terceiro Reich.

Desde 1992, é reconhecida como patrimônio arquitetônico a ser protegido e serve como centro de documentação das quase quatro décadas em que recebeu presos políticos, primeiro da administração soviética, depois da RDA. EFE gc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG