Merkel pedirá que economias emergentes economizem mais energia

Berlim, 3 jul (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, pedirá na cúpula dos líderes do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia), que acontecerá na próxima semana, no Japão, mais capacidade de economia energética às grandes economias emergentes, e mostrará sua oposição a subvencionar a gasolina.

EFE |

Em declarações hoje à rede de televisão "n-tv", Merkel disse que as ajudas estatais à gasolina não promovem o consumo eficiente e, embora aliviariam a pressão do consumidor, não resolveriam o problema de fundo criado pela alta dos preços do petróleo.

Merkel disse que o problema tem muitas vertentes e deve ser tratado de forma global, mas com responsabilidade diferenciada.

Acrescentou que os grandes países emergentes, como Brasil, China, Índia e México, devem se unir à busca de soluções, através de uma maior eficiência no uso dos recursos energéticos e apostando em fontes alternativas.

A situação do mercado energético será, junto com a alta dos preços dos alimentos, um dos temas centrais da cúpula do grupo formado por Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, França, Canadá, Itália, Japão e Rússia. EFE cv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG