Merkel pede resultados na cúpula do G20

Berlim, 18 set (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, ressaltou hoje a importância de que a cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes), em Pittsburgh (EUA), alcance resultados concretos, principalmente no limite do pagamento de gratificações aos altos executivos.

EFE |

"Existe uma grande unidade sobre que o encontro de Pittsburgh deve trazer resultados", disse Merkel, em entrevista coletiva em Berlim, sobretudo no tema de limitar o pagamento de gratificações aos altos executivos.

A chanceler alemã destacou que não deve haver nenhum produto financeiro, nenhum instituto e nenhum lugar que não seja submetido a regras e controle estritos para evitar novas crises financeiras.

"Contamos para isso com o apoio de todos os países da União Europeia (UE)", disse Merkel, que acrescentou que a UE já deu passos importantes em campos como o controle financeiro, as agências de qualificação de risco e a obrigação de que os bancos contem com um colchão financeiro.

Nesse sentido, disse que a reunião de Pittsburgh servirá, em primeiro lugar, para comparar o alcance das medidas adotadas pela União Europeia, Estados Unidos, nações asiáticas e outros países-membros do G20.

A chanceler alemã disse que a cúpula do G20 deve encontrar também respostas ao excesso de poder dos grandes bancos, para evitar que estes cheguem a "chantagear" os Estados.

Comentou que alguns grandes bancos assumem negócios de alto risco diante da segurança de que, em caso de necessidade, os Estados irão em sua ajuda com dinheiro do contribuinte, e lembrou que isso aconteceu na atual crise tanto na Europa quanto nos EUA.

Além disso, reiterou que o G20 deve ser no futuro o fórum internacional no qual sejam abordados os problemas econômicos e financeiros mundiais, enquanto o Grupo dos Oito (G8, os sete países mais desenvolvidos e a Rússia) deveria manter um caráter de fórum político.

Merkel disse também que o G20 deveria falar sobre a cúpula mundial sobre a mudança climática que será realizada em dezembro, em Copenhague, exigiu mais compromisso por parte de todo o mundo e advertiu contra um fracasso dessa reunião.

Até agora, não houve "compromissos suficientes no que se refere às taxas de redução de emissões poluentes", disse Merkel, que comemorou as amplas propostas elaboradas até o momento pela Comissão Europeia (órgão executivo da UE). EFE jcb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG