Berlim, 1 jul (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, se pronunciou hoje a favor de aumentar a pressão política contra o Governo do Zimbábue, que voltará a ser liderado pelo presidente Robert Mugabe, que saiu vitorioso do segundo turno das eleições, realizado em 27 de junho.

"A má liderança política que existe no Zimbábue provoca crise de fome e situações de emergência", disse a chanceler.

Destacou que, por essa razão e "para evitar que as pessoas sofram devido ao mau Governo, é preciso exercer toda a pressão política possível".

Mugabe foi empossado na segunda-feira como presidente depois que a Comissão Eleitoral do Zimbábue anunciou sua vitória com mais de 80% dos votos no segundo turno eleitoral, no qual era candidato único.

O líder opositor, Morgan Tsvangirai se retirou do processo eleitoral devido à campanha de violência e intimidação empreendida pelo Governo de Mugabe, apoiado pelo Exército e pela Polícia, contra os partidários da oposição.

A União Européia (UE) considerou que essas eleições não podem ser consideradas legítimas e não destacou a adoção de medidas contra os responsáveis da situação de crise que volta a ocorrer no país. EFE cv/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.