Merkel pede aumento da pressão política sobre o Zimbábue

Berlim, 1 jul (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, se pronunciou hoje a favor de aumentar a pressão política contra o Governo do Zimbábue, que voltará a ser liderado pelo presidente Robert Mugabe, que saiu vitorioso do segundo turno das eleições, realizado em 27 de junho.

EFE |

"A má liderança política que existe no Zimbábue provoca crise de fome e situações de emergência", disse a chanceler.

Destacou que, por essa razão e "para evitar que as pessoas sofram devido ao mau Governo, é preciso exercer toda a pressão política possível".

Mugabe foi empossado na segunda-feira como presidente depois que a Comissão Eleitoral do Zimbábue anunciou sua vitória com mais de 80% dos votos no segundo turno eleitoral, no qual era candidato único.

O líder opositor, Morgan Tsvangirai se retirou do processo eleitoral devido à campanha de violência e intimidação empreendida pelo Governo de Mugabe, apoiado pelo Exército e pela Polícia, contra os partidários da oposição.

A União Européia (UE) considerou que essas eleições não podem ser consideradas legítimas e não destacou a adoção de medidas contra os responsáveis da situação de crise que volta a ocorrer no país. EFE cv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG