Merkel insiste em regulações bancárias internacionais mais rigorosas

Berlim, 21 set (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, e o ministro das Finanças da Alemanha, Peer Steinbrück, reiteraram hoje seu propósito de conseguir que sejam impostas regulações internacionais mais rigorosas aos bancos, assim como à porcentagem obrigatória de capital próprio.

EFE |

Tanto Merkel quanto Steinbrück destacaram que viajarão com esse propósito à cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes) em Pittsburgh (EUA) e que essas regras são necessárias para evitar que se repita uma situação na qual os Estados possam ser praticamente chantageados pelos grandes bancos.

Trata-se, antes de tudo, de evitar que haja bancos que, por não ter reservas de capital e de liquidez, fiquem à beira da quebra e que o Estado não tenha outra opção que ajudá-los a evitar que arrastem consigo todo o sistema financeiro.

Para o caso de uma quebra ser inevitável, o Governo alemão quer que os bancos consignem um plano para sua liquidação na qual os proprietários e os credores teriam que assumir seus custos.

A chanceler criticou que alguns países estão pensando outra vez em um crescimento rápido, e por isso estão pouco interessados em novas regulações.

"Temos que nos acostumar à ideia de que não teremos taxas de crescimento exorbitantes, porque estas só são possíveis com um aumento dos riscos", disse Merkel. EFE rz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG