Berlim, 14 out (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, espera que a cúpula da União Européia (UE) de amanhã, em Bruxelas, sirva para lançar uma grande sinal de unidade aos mercados financeiros internacionais.

Segundo fontes governamentais, uma condição imprescindível para que essa mensagem possa ser lançada é que os 27 países-membros da UE aceitam as medidas de resgate colocadas pelo Eurogrupo.

Enquanto Merkel busca a coesão européia, na Alemanha, os estados federados colocaram hoje suas reservas à chanceler a respeito do volume de participação no pacote de resgate bancário aprovado ontem pelo Governo, que tem valor total de 500 bilhões de euros.

O Governo espera que os lander (estados) tenham participação de 35% no programa de resgate.

O chefe do Governo da Baviera, Erwin Huber, disse hoje que existem ainda "diferenças" a respeito do programa.

"Não há consenso sobre a participação dos lander, disse Huber, que é ministro das Finanças bávaro, ao término de uma reunião dos titulares da pasta regionais com o ministro da Economia do Governo alemão, Peer Steinbrück.

Os planos do Governo de Merkel contemplam que o pacote de resgate seja aprovado na sexta-feira, o que implica uma aprovação das câmaras, o Bundestag (baixa) e o Bundesrat (alta), este último de composição regional. EFE ih/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.