Merkel diz que Polícia da Alemanha Oriental tentou recrutá-la

Berlim, 19 mai (EFE).- A Polícia política da extinta República Democrática Alemã (RDA), a Stasi, tentou recrutar a atual chanceler, Angela Merkel, segundo explicou hoje a própria chefe de Governo da Alemanha em entrevista à um canal de TV local.

EFE |

"Imediatamente disse que isso não era para mim", explicou Merkel, em declarações ao programa "Menschen bei Maischberge", da rede "ARD".

Segundo a chanceler, a proposta foi feita a um funcionário do Ministério da Segurança da RDA, que pretendia tê-la para um posto na Universidade Técnica de Ilmeneau.

A proposta não surpreendeu Merkel, que já tinha falado da questão com seus pais anteriormente e sabia o que devia dizer quando fosse o caso: que não era capaz de manter a boca fechada e que contava tudo a seus amigos.

Com isso, ficou liquidado o assunto, porque o silêncio era a condição imprescindível para o posto, após o que não conseguiu o trabalho na universidade.

Merkel, nascida em Hamburgo em 1954, passou toda a infância e juventude em território da RDA.

A Stasi chegou a ter 90 mil agentes, complementados por 300 mil informantes, cuja missão era fazer um acompanhamento minucioso dos espionados. EFE gc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG