Merkel desiste de metas vinculativas para limitar emissões

Berlim, 24 abr (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, desistiu do objetivo de conseguir acordos vinculativos para reduzir as emissões que causam o aquecimento global com vistas à Cúpula Climática das Nações Unidas.

EFE |

A chanceler renuncia a limitar com essas medidas o aquecimento da Terra até um máximo de dois graus centígrados, assegura o semanário "Der Spiegel" em uma informação adiantada hoje.

Segundo a publicação, a chefe do Governo de Berlim quer evitar que a União Europeia e a Alemanha sofram um novo fracasso nas negociações da Conferência sobre a Mudança Climática da ONU que culminarão em dezembro no México.

Por esse motivo, não vai apresentar metas na conferência informal de ministros do clima que começa no próximo fim de semana em Bonn que tratará das medidas para proteger o meio ambiente e tentará conseguir resultados sem a assinatura de um acordo vinculativo.

Em declarações ao "Der Spiegel", o ministro do Meio Ambiente alemão, Norbert Röttgen, assinala que "não se trata de abandonar a meta da limitação dos dois graus (para a alta das temperaturas), mas de buscar novas vias para alcançá-la".

"Queremos conseguir um novo nível para não trabalhar em direção às metas de CO2, mas começar com novos projetos que tragam sucessos verificáveis", assegura o ministro alemão, que cita, entre outras opções, a proteção das florestas e a cooperação concreta na transferência de tecnologias ecológicas. EFE jcb/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG