Merkel defende segundo pacote alemão contra a crise

Berlim, 13 jan (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje o segundo pacote, 50 bilhões de euros, para combater a maior recessão na história da Alemanha de pós-guerra, que tem como principal objetivo conservar postos de emprego e diminuir a carga de impostos.

EFE |

A governante alemã e chefe dos democratas-cristãos (CDU), que apresentou o chamado "Pacto pela Alemanha" junto com o vice-chanceler e ministro de Relações Exteriores, Frank Walter Steinmeier (SPD), e o chefe do Governo da Baviera, Horst Seehofer (CSU), explicou que este plano pretende "fortalecer a economia social de mercado".

Merkel disse que este modelo econômico não é o responsável da crise financeira, mas "os excessos nos mercados que desconhecem as responsabilidades sociais".

Após várias semanas de discussões, os partidos que formam o Governo alemão fecharam uma nova previsão de medidas que incluem reduções fiscais e das contribuições à previdência social.

Apenas os investimentos, dos quais se beneficiarão especialmente as escolas com iniciativas para sua modernização, contemplam uma despesa de 18 bilhões de euros para os próximos dois anos, afirmou Merkel. EFE umj-jcb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG