Berlim, 15 dez (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu hoje um certo nervosismo diante da entrada da fase final da Cúpula das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP15), em Copenhague, na qual defenderá medidas que não permitam um aquecimento da atmosfera de mais de 2ºC, para evitar uma catástrofe ambiental.

"Não quero esconder que me sinto um pouco nervosa diante da dúvida sobre se conseguiremos tudo", disse Merkel para a imprensa após receber o presidente da Indonésia, Susuli Bambang Yudhoyono, e os primeiros-ministros de países insulares como Kiribati, Vanuatu e Samoa, em Berlim.

A chanceler alemã, doutora em ciências físicas, ressaltou que "estamos conscientes de que o tempo está acabando. Por isso é preciso levar as coisas a sério".

A política alemã ressaltou que a limitação para dois graus de alta na temperatura global é um dado decisivo para marcar as metas de reduções de emissões dos países industrializados e emergentes até 2020.

Merkel, que estará presente em Copenhague nos dois últimos dias da conferência, destacou que a cúpula deve abrir o caminho para que, mais tardar no ano que vem, seja fechado um acordo internacional vinculativo para a proteção do clima.

O presidente indonésio, por sua parte, pediu aos países em desenvolvimento um maior esforço para o êxito da cúpula, enquanto os chefes de Governo dos pequenos Estados insulares lembraram que uma alta no nível dos oceanos fará seus países desaparecer, já que serão submergidos pelo mar. EFE jcb/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.