Mergulhadores encontram mais cinco corpos no Costa Concordia

Número oficial de vítimas do naufrágio sobe para 30, enquanto dois ainda são listados como desaparecidos

iG São Paulo |

Mergulhadores encontraram nesta quinta-feira mais cinco corpos no Costa Concordia, cruzeiro que naufragou em janeiro na Itália. Com isso, sobe para 30 o número oficial de vítimas do naufrágio, enquanto duas pessoas ainda são listadas como desaparecidas.

Leia também: Itália tem audiência preliminar sobre naufrágio do Costa Concordia

AP
Neve cobre telhados das casas próximas à costa da ilha de Giglio, onde está naufragado navio Costa Concordia (12/02)

Os últimos corpos foram encontrados em espaços entre o casco e o fundo do mar na região da Ilha de Giglio, na Toscana, de acordo com a Agência de Proteção Civil italiana, que está coordenando as operações de busca. Desde o acidente, o navio se encontra na lateral, submerso até a metade próximo ao porto da ilha.

O Costa Concordia naufragou em 13 de janeiro quando viajava com 4.229 a bordo - incluindo 3,2 mil turistas de 60 nacionalidades diferentes e mil membros da tripulação.

Seis semanas depois do acidente, a operadora do navio, Costa Cruzeiros, voltou a virar notícia depois que um incêndio atingiu a sala de geradores de outro cruzeiro, o Costa Allegra. A embarcação ficou à deriva no Oceano Índico.

No início de março, informações importantes sobre o naufrágio foram entregues a um painel de especialistas durante uma audiência pré-julgamento na Itália.

De acordo com o promotor Francesco Verusio, será necessário de um a três meses para que se chegue às conclusões sobre o caso, incluindo as retiradas das conversas gravadas na sala de comando.

A audiência não contou com a presença do principal acusado, o capitão Francesco Schettino, que responde pelas acusações de homicídio culposo múltiplo (sem intenção de matar), naufrágio e abandono de embarcação. Segundo seu advogado, Schettino - apelidado de "capitão covarde" - teme por sua segurança.

Também são investigados os três dirigentes da Costa Cruzeiros, operadora do Costa Concordia: o vice-presidente executivo de operações da frota, Manfred Ursprunger, o chefe da Unidade de Crise, Roberto Ferrarini, e o superintendente da frota do navio, Paolo Parodi, que são suspeitos de homicídio culposo, naufrágio e omissão na comunicação às autoridades marítimas.

Com AP, EFE e AFP

    Leia tudo sobre: costa concordiaitáliagiglionaufrágionaviocruzeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG