Mergulhadores buscam 800 desaparecidos em naufrágio nas Filipinas

Manila, 24 jun (EFE) - Duas equipes de mergulhadores tentarão hoje entrar de novo no interior de um ferry naufragado há três dias por causa de um tufão no centro das Filipinas na busca de seus 800 ocupantes, ainda com a esperança de encontrar sobreviventes. Se esta missão fracassar, uma embarcação da Guarda Litorânea perfurará o casco do barco, com o risco de causar um vazamento de combustível que pode gerar uma catástrofe ambiental, informaram fontes oficiais. No domingo passado, quando as equipes de resgate mergulharam pela primeira vez no local do acidente, não obtiveram resposta quando bateram no casco, para saber se as vítimas os ouviam. Mas, desta vez, buscarão janelas ou portas que possam abrir para entrar no navio, que ficou encalhado no sábado na ilha de Sibuyan, 300 quilômetros ao sul da capital, pelo temporal causado pelo tufão Fengshen, que atingiu no fim de semana várias zonas das Filipinas. No final da noite de domingo, 35 corpos foram resgatados em águas da ilha de Masbate, na região central das Filipinas, mas as autoridades não confirmaram se seriam do ferry. Por enquanto, a Guarda Litorânea confirmou um total de 34 sobreviventes e seis mortos. A bordo da embarcação, de 24 mil toneladas e propriedade da barqueira filipina Sulpicio Lines, estavam 862 pessoas, incluindo 111 tripulantes, e não 746, como se divulgou inicialmente. Se for confirmada a morte dos desaparecidos no naufrágio, será o mais grave acidente marítimo ocorrido...

EFE |

Nas Filipinas, pelo menos 224 pessoas morreram e outras 374 foram dadas por desaparecidas por causa das enchentes e deslizamentos de terras devidos ao tufão durante sua passagem por regiões do centro e do sul do arquipélago, segundo a Cruz Vermelha local. EFE csm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG