Merck usou autores pagos para artigos e relatórios sobre Vioxx

O laboratório americano Merck pagou certos pesquisadores para assinar seus estudos clínicos e artigos sobre o Vioxx, o antiinflamatório retirado do mercado em 2004, revelam documentos publicados nesta terça-feira.

AFP |

Vários médicos, entre eles o doutor Joseph Ross, da Faculdade de Medicina Mount Sinai de Nova York, examinaram uma série de artigos publicados sobre o Vioxx (rofecoxib), um antiinflamatório não esteróide relacionado a acidentes cardiovasculares, e concluíram que estudos e testes clínicos eram atribuídos a um conhecido pesquisador que pouco tinha a ver com esses trabalhos.

No artigo publicado no Journal of the American Medical Association (Jama), de 16 de abril, os médicos destacam ainda que, nos documentos apresentados pela Merck no julgamento envolvendo o Vioxx, há nomes "contratados" para assinar artigos sobre biomedicina.

"Essa análise da documentação da indústria relacionada ao rofecoxib revela que a Merck recorria sistematicamente à estratégia de utilizar nomes de aluguel para firmar sua literatura médica", destacam os médicos.

O artigo revela ainda que a Merck pagava certos pesquisadores para assinar estudos e testes clínicos realizados por outras pessoas.

"Esperamos que nosso trabalho promova a discussão sobre como melhorar a integridade da pesquisa médica", destacou Ross.

"A profissão médica e a indústria farmacêutica deveriam aceitar a idéia de que toda colaboração precisa ocorrer dentro dos mais altos padrões", concluiu.

js/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG