"Mercador da Morte" russo desembarca em Nova York

Acusado de ser um dos maiores traficantes de armas do mundo, Vikotr Bout foi extraditado pela Tailândia aos EUA

iG São Paulo |

AP
Viktor Bout desembarca em Nova York na noite de terça-feira (16/11)
O russo Viktor Bout, 43 anos, acusado pelo governo americano de ser um dos maiores traficantes de armas do mundo, desembarcou na noite de terça-feira em Nova York após ser extraditado pela Tailândia.

Bout deve ser indiciado por terrorismo e comparecer a um tribunal nesta quarta-feira, segundo informou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Em comunicado, o procurador-geral dos EUA, Eric Holder, disse que a extradição de Bout é uma "vitória mundial".

"Há muito tempo considerado um dos mais prolíficos traficantes de armas, o sr. Bout vai agora aparecer diante de uma corte federal, em Manhattan, para responder por conspiração para venda de milhões de dólares em armas para organizações terroristas, usadas para tentar matar americanos", declarou Holder.

Apelidado no ocidente de "mercador da morte", Bout também inspirou o filme "Senhor das Armas", estrelado por Nicolas Cage em 2005. Supostamente atuando há mais de 15 anos como vendedor de armamento pesado, Bout teria envolvimento em alguns dos piores conflitos da história mundial recente.

Ele é suspeito de ter fornecido armas para líderes polêmicos como Charles Taylor, ex-presidente da Libéria, e Muamar Khadafi, da Líbia, além de ter abastecido diversos grupos guerrilheiros na América Latina e no sul do continente africano.

Acredita-se que Bout teria sido agente da inteligência russa no passado e que poderia comprometer os interesses de Moscou caso venha a fechar algum acordo de delação premiada com a Justiça americana. Especula-se que, nesse caso, Bout poderia expor a participação de setores dentro do Exército russo no comércio internacional ilegal de armas.

Por isso, a Rússia foi contra a extradição de Bout, preso em Bangcoc em 2008. Na terça-feira, o governo russo chamou a ação tailandesa de  "ilegal". "A extradição ilegal de V.A. Bout foi resultado de pressão política sem precedentes dos Estados Unidos", afirmou o Ministério de Relações Exteriores russo, em comunicado.

"É profundamente lamentável que as autoridades tailandesas tenham cedido à pressão política do exterior e realizado essa extradição ilegal", disse o ministério, acrescentando que a Rússia continuará dando apoio a Bout. Segundo o Kremlin, o russo é um negociante honesto, que teria feito fortuna com uma companhia de transporte de cargas.

Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: rússiaviktor bouteuatailândiamercador da morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG