Menos de 1% dos moradores deixam área de risco por vulcão na Colômbia

BOGOTÁ - Somente 76 dos quase 8 mil moradores -menos de 1% - deixaram a área de risco do vulcão Galeras, no sudoeste da Colômbia, acatando a medida de segurança determinada pelas autoridades do departamento (estado) de Nariño, após ele entrar em erupção nesta sexta-feira.

EFE |

A porta-voz do Comitê Regional para Prevenção e Atendimento de Desastres (CRPAD) de Nariño, Marcela González, especificou à Agência Efe que as pessoas que abandonaram suas casas são moradoras da zona rural de Pasto, a capital do departamento.

Elas buscaram refúgio nos albergues de El Vergel e Potreros, que estão dentro do conjunto de nove instalações destacadas para acolher os milhares de habitantes da área de risco, formada por zonas rurais de Pasto e seis pequenas cidades vizinhas.

"A ordem de saída está mantida, mas as pessoas são muito teimosas", declarou a porta-voz.

A medida foi completada com o fechamento, durante a noite, da estrada que liga Pasto à cidade vizinha de La Florida, circundando o vulcão e o alerta continua no nível um ou vermelho, de erupção iminente ou em curso.

O Galeras, a cerca de 700 quilômetros de Bogotá, com 4.276 metros de altitude, entrou em erupção às 15h55 locais (17h55 de Brasília) de ontem.

Em 1993, cinco pesquisadores morreram quando faziam análises neste vulcão.

    Leia tudo sobre: colômbiavulcão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG