Havana, 14 jun (EFE).- O menino náufrago cubano Elián González recebeu hoje a carteira de membro da União de Jovens Comunistas (UJC) de Cuba, em um ato público realizado na cidade de Cárdenas, informou a imprensa oficial.

O adolescente de 14 anos, que esteve no centro de uma intensa disputa legal, política, familiar e de opinião entre Cuba e Estados Unidos em 1999, entrou hoje na organização comunista junto com outros 18.000 estudantes em todo o país.

Elián "exaltou" em discurso "a honra e grande responsabilidade de ser militante da UJC", segundo a "Agência de Informação Nacional".

Gónzalez foi um dos oradores do ato central presidido pelo líder da Juventude Comunista, Julio Martínez, e cuja realização coincidiu com os 80 anos do nascimento de Ernesto "Che" Guevara, em "homenagem" ao guerrilheiro.

A presidente da Organização de Pioneiros José Martí, Miriam Yanet Martín, disse que a entrega dessa distinção a González "tem grande simbolismo para a família cubana", e lembrou que, depois da devolução do menino a Cuba, o líder cubano Fidel Castro pediu a seus professores que o transformassem em uma "criança modelo".

Em novembro de 1999, Elián González sobreviveu ao naufrágio de uma embarcação de emigrantes ilegais no qual sua mãe, Elizabeth Brotons, e outras dez pessoas morreram, quando tentavam chegar ao litoral da Flórida (EUA).

A criança de 6 anos foi resgatada do mar por dois pescadores americanos e entregue em Miami a parentes distantes, em custódia temporária, que depois se recusaram a devolver o menino ao pai, o que gerou uma complicada disputa judicial e um drama familiar.

Por fim, Elián voltou para Cuba com o pai em 28 de junho de 2000, após um longo processo judicial nos EUA e vários dias de mobilizações na ilha que deram origem a um movimento promovido pelo Governo cubano denominado "Batalha de Idéias", e que buscou também o apoio da opinião pública internacional.

Cuba considerou a devolução de Elián uma vitória política frente ao setor mais radical do exílio anticastrista residente na Flórida.

EFE arj/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.