Menino de 13 anos é resgatado na Turquia 108 horas após o terremoto

ONU lança operação para ajudar desabrigados por tremor que deixou ao menos 570 mortos e 2,5 mil feridos no país

iG São Paulo |

Um menino de 13 anos foi resgatado com vida nesta sexta-feira, 108 horas após um forte terremoto ter atingido a Turquia. O tremor de domingo deixou ao menos 570 mortos e 2,5 mil feridos, de acordo com o governo turco.

O jovem Ferhat Tokay estava sob as ruínas de um prédio que desabou na cidade de Ercis. Ele foi encontrado na noite de quinta-feira e resgatado na manhã de sexta. Uma fonte das equipes de regate disse que ele foi levado ao hospital e aparentemente está em bom estado de saúde.

AP
Ferhat Tokay é retirado de escombros em Ercis 108 horas após terremoto (28/10)

Poucas horas antes, um homem havia sido resgatado dos escombros de outro prédio. As autoridades afirmam que, na medida em que o tempo passa, há poucas esperanças de serem encontrados sobreviventes no terremoto de 7,2 pontos de magnitude. Até agora, 187 pessoas foram resgatadas, mas ainda há centenas de desaparecidos.

Nesta sexta-feira, a agência das Nações Unidas para refugiados começou uma operação para levar por via aérea barracas, cobertores e outros itens a milhares de desabrigados pelo terremoto.

O primeiro dos quatro aviões diários de carga Ilyushin-76 deve pousar na noite de sexta-feira em Erzurum, transportando 37 toneladas de itens de ajuda de seu estoque emergencial em Dubai, informou. Caminhões levarão os suprimentos para a província de Van, atingida pelo terremoto.

"Cada voo estará carregando cerca de 500 barracas e 10 mil cobertores", disse Adrian Edwards, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur). "As necessidades de abrigo são grandes".

Alguns sobreviventes acusaram o governo turco de agir lentamente para obter ajuda para a região assolada e disseram que aproveitadores estão acumulando barracas para revendê-las.

O governo do primeiro-ministro Tayyip Erdogan inicialmente disse que a Turquia podia lidar sozinha com o desastre, mas aceitou as ofertas de ajuda apenas dois dias depois do terremoto.

Construções irregulares

O premiê turco responsabilizou construções irregulares pelo número elevado de mortos, prometendo derrubar todos os edifícios erguidos sem licença e que não estejam preparados para suportar tremores.

"Vendo os escombros, podemos comprovar a má qualidade dos materiais. O cimento se transformou em areia. Os municípios, as empreiteiras e a fiscalização deveriam perceber que essas negligências são comparáveis a cometer um crime", afirmou.

Erdogan prometeu se encarregar do problema contra as construções irregulares, embora seja uma medida impopular para o governo. De acordo com ele, o Executivo ordenará derrubar todos os "gecekondu", que são bairros de casas construídas pelos próprios moradores sem permissão e normalmente em terrenos de propriedade estatal, onde mora mais da metade da população urbana da Turquia, segundo alguns estudos.

"Se for preciso, utilizaremos dinheiro do orçamento para expropriar esses edifícios tipo 'gecekondu' ou construídos sem licença. Seja qual for o preço, apesar dos problemas para os votos. Se temos de escolher, preferimos perder o governo a continuar com esse panorama", disse.

Com BBC, Reuters e AP

    Leia tudo sobre: turquiaterremototremorterremoto na turquia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG