Um menino britânico cego de 7 anos conseguiu aprender a ver objetos usando sua audição. Lucas Murray estala sua língua e usa o eco provocado pelos objetos para construir o cenário em seu entorno.

A técnica é semelhante à do sonar usado por morcegos e golfinhos.

Lucas estala sua língua no céu da boca, e pelo som que escuta do eco ele consegue descobrir a distância, a forma, a densidade e a posição dos objetos.


Lucas percebe a distância de obstáculos por meio de técnica de sonar / BBC

A técnica, conhecida como "ecolocalização", ajudou Lucas, que nasceu cego, a jogar basquete e a escalar montanhas.

Flash

Ele aprendeu o sistema com o californiano Daniel Kish, de 43 anos, que fundou uma organização não governamental internacional de ajuda aos cegos.

Os pais de Lucas, Sarah e Iain, viram Kish em um programa de TV e o convidaram para visitar o filho em sua cidade, Poole, no sul da Grã-Bretanha.

"O Lucas é capaz de estalar sua língua para determinar onde as coisas estão ao seu entorno e o que são essas coisas. Ele é capaz de se movimentar confortavelmente sem ter que se segurar em outras pessoas", afirma Kish.

"O estalo basicamente emite um som que reflete no ambiente um pouco como o flash de uma câmera", explica.

Mobilidade 'extraordinária'

Lucas consegue determinar a distância dos objetos ao estimar o tempo que o eco leva para voltar e é capaz de estimar a localização do objeto sabendo em que ouvido o eco é percebido primeiro.

A densidade e a forma do objeto é percebida pela intensidade do som que retorna.

Um objeto que se move para mais longe cria um som com volume mais baixo, e um objeto que se aproxima cria um som com volume mais alto.

Segundo Kish, Lucas determina as qualidades de um objeto pelas características do som que ele consegue perceber.

"Ele joga basquete, é capaz de acertar a bola na cesta com os estalos da língua. Ele consegue jogar muito bem", afirma Kish. Para ele, a mobilidade alcançada por Lucas é "extraordinária".

Leia mais sobre deficiência visual

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.