Menina morta em massacre no Arizona é homenageada em funeral

Parentes e amigos de Christina Taylor Green e outros cinco mortos por atirador em Tucson compareceram à missa antes de enterro

iG São Paulo |

Os Estados Unidos se despediram nesta quinta-feira de Christina Taylor Green, a menina nascida em 11 de setembro de 2001 que faleceu no tiroteio de Tucson no sábado, e a quem o presidente Barack Obama dedicou grande parte de seu emocionado discurso de quarta-feira em homenagem às vítimas.

Christina foi enterrada antes das outras cinco vítimas do massacre ocorrido em Tucson, no Estado Americano do Arizona, no sábado.

AP
Rozanna e John Green, pais de Christina, chegam para funeral com o filho Dallas

A garota de 9 anos esperava encontrar a deputada democrata Gabrielle Giffords em um evento no sábado, quando foi morta pelo atirador Jared Loughner, em massacre com outros cinco mortos e 14 feridos – incluindo a própria congressista, que se recupera de forma “milagrosa”, segundo os médicos.

Na Igreja Católica St. Elizabeth Ann Seton, em Tucson, foi estendida a grande bandeira dos Estados Unidos utilizada no Marco Zero, em Nova York, para homenagear as vítimas do 11 de Setembro. A bandeira foi um tributo a Christina, que nasceu no mesmo dia dos atentados terroristas de 2001.

Vestidos de branco, parentes e conhecidos fizeram uma círculo de mãos dadas e seguiram até a igreja em silêncio. A cerimônia foi realizada em meio a forte esquema de segurança.

Dentre as crianças presentes no funeral, amigos de classe de Christina vestiam roupas de beisebol. Além de ser fã de dança e esportes, ela era neta do ex-jogador profissional de beisebol Dallas Green.

A Igreja Batista Westboro, organização que acredita que os EUA estão sendo castigados por permitir o aborto, o casamento gay e que se pronuncia contra a confissão católica, havia anunciado um protesto no funeral de Christina, mas desistiu após receber espaço para se expressar em uma rádio, depois que os legisladores estaduais aprovaram lei proibindo tais tipos de protestos em funerais.

Moradores de todas as partes do Estado do Arizona, que foi cenário do crime, se aproximaram, muitos afirmando estar ainda mais comovidos com a homenagem pública "e as maravilhosas palavras do presidente Obama", disseram à AFP. "Viemos apoiar a família, nos certificar de que tudo está bem. Queríamos estar aqui caso os da Igreja Westoboro viessem", disse Tina Childers, uma mulher de 45 anos que chegou com um grupo de moto ao funeral de Christina Taylor Green.

Discurso

Ao discursar em Tucson, na noite de quarta-feira, Obama homenageou as vítimas do massacre, pediu o fim da polarização do debate político e citou a morte da garota de 9 anos. “Imagine que havia uma jovem garota que estava apenas (...) começando a entender as obrigações da cidadania, apenas começando a vislumbrar o fato de que um dia ela também poderia desempenhar um papel moldando o futuro da nação”, disse o presidente americano.

“Quero que vivamos acima das suas expectativas. Quero que nossa democracia seja tão boa quando Christina imaginou”, acrescentou Obama.

AP
Parentes e amigos deram as mãos antes de missa em igreja católica de Tucson
*Com BBC

    Leia tudo sobre: arizonatucsoneuachristina greenjared loughner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG