Menina de Hong Kong pode ter sido vítima de leite adulterado

HONG KONG (Reuters) - Supermercados de Hong Kong retiraram algumas marcas de leite das prateleiras neste domingo, e uma menina de 3 anos, diagnosticada com uma pedra nos rins após ter bebido o produto adulterado, supostamente é a primeira vítima nesse território de pânico que tomou conta do setor de saúde da China. A Organização Mundial da Saúde (OMC) informou que está ajudando a China a investigar a contaminação de produtos lácteos por melamina, uma substância química que pode causar pedras no rins e provocar falência dos rins de crianças.

Reuters |

Na semana passada, a China ordenou um exame dos produtos lácteos e o recolhimento em todo o país de itens suspeitos, em um escândalo de grande amplitude que matou quatro crianças e deixou milhares doentes.

As autoridades sanitárias de Hong Kong disseram em um comunicado que a menina, que havia consumido a marca de leite Yili nos últimos 15 meses, tem uma pedra renal.

No entanto, ela não tinha nenhum sintoma de doença e recebeu alta do hospital no sábado.

Alguns dos principais supermercados de Hong Kong recolheram o leite em pó da Nestlé das prateleiras depois que um jornal reportou que ele continha melamina, um componente rico em nitrogênio que pode ser adicionado a leite misturado com água para ajudá-lo a passar pelas inspeções de qualidade.

A medida foi um ato de precaução, disse Annie Sin, porta-voz da rede de supermercados Wellcome.

A Nestlé, grupo alimentício suíço, disse estar confiante em que nenhum de seus produtos foram feitos com leite adulterado com melamina. Testes feitos por laboratórios aprovados pelo governo mostraram que o produto mencionado não continha melamina, afirmou a empresa

Mas o centro de segurança alimentar de Hong Kong disse que testes posteriores mostraram que um outro produto, o Nestle Dairy Farm Pure Milk, continha a substância nociva. O centro afirmou que o produto estava sendo usado por fornecedores da empresa.

'Com base no nível mínimo detectado, o consumo normal não acarretará grandes efeitos à saúde. No entanto, não é aconselhável o consumo desse produto lácteo por crianças pequenas', disse um porta-voz do centro de segurança alimentar.

O centro pediu às redes de abastecimento que parem de vender o produto e o recolham das prateleiras, afirmou o porta-voz.

A Nestlé não quis fazer comentários sobre o relatório do centro.

O Grupo Industrial Yili, o maior fabricante da China de leite em pó para crianças, e 19 outros produtores de laticínios disseram que vão ampliar a qualidade de seus produtos e compensar as vítimas, segundo a mídia estatal.

O órgão responsável pela fiscalização da qualidade do leite na China afirmou que aproximadamente 10 por cento de amostras de leite e bebidas de iogurte de três grandes laticínios continham melamina potencialmente mortífera.

(Reportagem de Jeffrey Hodgson, Edwin Chan e John Ruwitch em Hong Kong, Kirby Chien em Pequim, David Chance em Kuala Lumpur e Manny Mogato em Manila)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG