CAIRO - Uma iemenita de 12 anos, cuja família obrigou que se casasse, morreu de complicações pós-parto, informou neste domingo o jornal Al Thawra, que cita um comunicado de uma organização de defesa dos direitos humanos.

A Siag, que se dedica a proteger crianças, denunciou que a menor Fawziya Abdala Youssef morreu na sexta-feira, dias após dar à luz uma criança que também faleceu.

Youssef foi hospitalizada num hospital da cidade de Hiya, na província de Al Hadida (norte), mas os médicos não conseguiram salvar a vida dela nem a do recém-nascido.

Segundo o site do jornal "Al Thawra", Youssef foi tirada da escola quando tinha 11 anos para se casar, já que a família é pobre e o pai dela está doente.

Segundo a Siag, esses casos são mais comuns do que se imagina e causam a morte de muitas adolescentes, embora não exista um registro oficial para óbitos deste tipo.

A organização também criticou a ausência de leis que proíbam as autoridades locais a permitir o casamento de crianças.

Leia mais sobre Iêmen

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.