Menem ouvirá acusações sobre tráfico de drogas por videoconferência

Buenos Aires, 31 out (EFE) - O ex-presidente da Argentina Carlos Menem (1989-1999) ouvirá através de uma videoconferência a acusação contra si no julgamento por contrabando de armas para Equador e Croácia, anunciou hoje o tribunal encarregado do processo. Os juízes consideraram que o ex-líder, de 78 anos, não poderá assistir pessoalmente à sala de audiências por problemas de saúde, por isso determinaram a realização de uma videoconferência para 28 de novembro. Os magistrados rejeitaram ainda a reivindicação da Alfândega argentina, querelante da causa, que tinha se oposto à forma na qual Menem escutará as acusações ao considerar que não está prevista na lei. O Tribunal Oral no Penal Econômico 3 também resolveu suspender até a próxima sexta-feira o julgamento pela venda ilegal de armas que começou em 16 de outubro em Buenos Aires com a leitura da acusação contra os outros 17 processados e sem a presença de Menem. O ex-líder, atual senador, escutará a leitura da acusação contra si desde La Rioja, sua província natal, onde permanece em repouso absoluto devido a um quadro de anemia e estresse, segundo explicou sua defesa dias atrás. O Tribunal pediu esta semana relatórios médicos complementares para determinar se o ex-presidente da Argentina está em condições de presenciar futuras audiências. No julgamento por contrabando de armas também são acusados o ex-assessor presidencial Emir Yoma, o ex-chefe da Força Aérea Juan Paulik, o traficante de armas...

EFE |

EFE ms/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG